Chance de rebaixamento do Vitória aumenta para 52%; Bahia tem 30%


A 28ª rodada do Campeonato Brasileiro terminou na noite da última terça-feira (9), com o empate entre Botafogo e Vasco (1 a 1) e a briga para fugir do rebaixamento segue embolada. O Vasco, mesmo estando fora do Z-4, aparece com mais chances de cair (36%) do que duas equipes que estão atrás dele na tabela, Chapecoense (30%), Bahia (30%) e Ceará (28%), de acordo com o site Infobola, do matemático Tristão Garcia.

Isso se dá porque os cálculos levam em conta fatores como a dificuldade dos adversários pela frente. Os cearenses ainda têm um jogo a menos, contra o Cruzeiro, no dia 24.

Lanterna, o Paraná parece virtualmente rebaixado, com probabilidade de 99% de disputar a Série B no ano que vem. Após a vitória sobre o Inter, o Sport respirou. Mas ainda tem 80% de chance de cair. O risco também é grande para o Vitória (52%).

Outros clubes ameaçados são o América-MG (23%) e, em menor escala, Botafogo (10%) e Corinthians (9%). Com remoto 1% de chance de rebaixamento, Fluminense, Cruzeiro e Atlético-PR ainda precisam somar pontos para se verem livres de vez da queda.

Luta na parte de cima

O Palmeiras tem motivos de sobra para comemorar o fim da última rodada: isolou-se na liderança e viu suas chances de título chegarem a 63%.

Foi uma rodada quase prefeita para o Verdão, que abriu vantagem de três pontos no topo ao derrotar o rival São Paulo — em queda na tabela, o tricolor tem agora 6% de chances de ser campeão. O Internacional , vice-líder, também ajudou: perdeu para o Sport e tem 19% de probabilidade de comemorar o título em dezembro.

Já o Flamengo, que se recuperou após bater o Corinthians, assumiu a terceira colocação e viu sua chance de terminar no topo ir a 8%. O Grêmio, que só empatou com o Bahia, por sua vez, tem 4%. De acordo com o Infobola, a probabilidade de outra equipe ser campeã é desprezível.

Por Redação GN | Fonte: iBahia
Compartilhe no G+

GN OnLine

Os comentários não representam a opinião do GN Online; a responsabilidade é única e exclusivamente do autor do comentário.

0 comentários: