Operação prende mais de mil pessoas suspeitas de homicídio e de outros crimes no país


Mais de mil pessoas foram presas e 75 adolescentes apreendidos nesta sexta-feira (24) na Operação Cronos, coordenada pelo Ministério da Segurança Pública. O foco da ação eram os feminicídios e os homicídios. De acordo com balanço divulgado no fim da tarde, foram 1.027 prrisões efetuadas em uma ação que contou com aproximadamente 6,6 mil policiais civis em todo o Brasil.

Motivos das prisões

14 por feminicídio
225 por homicídio
143 por crimes relacionados à Lei Maria da Penha
421 por crimes diversos
224 por tráfico de drogas, posse/porte irregular de arma de fogo, entre outros

A Operação foi definida em uma reunião do Conselho Nacional dos Chefes de Polícia Civil, em julho deste ano. Segundo o Ministro Raul Jungmann, a operação integrada é um exemplo de como funcionará o Sistema Único de Segurança Pública, em vigor desde junho, após a sanção da Lei nº 13.675/2018.

“O que nos importa é a proteção e a garantia da vida, sobretudo combater o feminicídio, esse crime covarde e inaceitável. Todos são, mas alguns são mais graves e repulsivos, sobretudo contra mulheres”, afirmou Jungmann.

Parte das investigações que levaram aos mandados de prisão contou com apoio do Banco de Perfil Genético, que cadastra o DNA de autores de crimes sexuais e confronta com o material genético encontrado nas vítimas. Segundo o ministério, o banco deve ser ampliado e deverá contar com 130 mil perfis cadastrados até o fim do ano que vem.

Segundo a pasta, a escolha do nome Cronos faz referência à supressão do tempo de vida da vítima, reduzido pelo autor do crime.

Veja a quantidade de presos por estado:

Amapá
Doze pessoas foram presas até as 17h. Os alvos são condenados pela Justiça considerados foragidos por crimes de violência doméstica e homicídios.

Alagoas
Até as 14h, 13 pessoas haviam presas no interior de Alagoas.

Distrito Federal
Até o meio-dia, 28 pessoas tinham sido presas: 24 são suspeitos de homicídios, um, de feminicídio e três de crimes listados na Lei Maria da Penha.

Espírito Santo
Oitenta e cinco pessoas foram presas e cinco adolescentes apreendidos no Espírito Santo.

Maranhão
No estado, 16 pessoas foram presas, sendo uma por tentativa de feminicídio.

Mato Grosso do Sul
Em MS, 27 pessoas foram presas – 22 por homicídio e 5 por violência contra a mulher.

Pará
Doze pessoas haviam sido presas até as 10h.

Paraíba
23 pessoas foram presas na Paraíba, sendo cinco na capital João Pessoa.

Paraná
Cerca de 100 mandados são cumpridos no estado. Um homem de 70 anos foi preso. Ele é suspeito de ter colocado fogo na mulher, no ano passado. Até a publicação desta reportagem, não havia sido informado o que aconteceu com ela depois do ocorrido.

Rio Grande do Norte
Até por volta das 10h, 12 pessoas haviam sido presas nas cidades de Natal, Parnamirim e Mossoró.

Rio Grande do Sul
Quarenta e três pessoas foram presas até por volta das 17h . Entre os presos, está o suspeito de feminicídio e estupro de Francine Ribeiro, de 24 anos, em Santa Cruz do Sul. A jovem desapareceu no último dia 12 e foi encontrada morta no dia seguinte, nas proximidades do Lago Dourado, área turística do município.

Rondônia
Quinze pessoas haviam sido presas até as 10h.

Santa Catarina
Policiais prenderam 56 suspeitos e apreenderam três adolescentes até as 12h.

São Paulo
Até por volta das 17h, 26 pessoas haviam sido presas na Região Metropolitana de São Paulo.

Sergipe
Quarenta e duas pessoas haviam sido presas até 9h.

Tocantins
58 pessoas haviam sido presas até as 16h.

Por Redação GN | Fonte: G1
Compartilhe no G+

GN OnLine

Os comentários não representam a opinião do GN Online; a responsabilidade é única e exclusivamente do autor do comentário.

0 comentários: