Habilidades socioemocionais preparam estudantes para mercado de trabalho


Muito se fala nas redes sociais sobre habilidades socioemocionais. Expressões como resiliência, empatia e trabalho em equipe são questões que influenciam a vida das pessoas. Por isso, uma nova ferramenta educativa nas escolas tem sido usada: as chamadas soft skills.

Essas habilidades de comportamento ajudam os alunos de ensino fundamental e médio no desenvolvimento pessoal para enfrentarem o mercado de trabalho. Escolas brasileiras já adaptaram o estilo empreendedor da ferramenta DreamShaper à Base Nacional Comum Curricular (BNCC) para levar além do ensino técnico para os estudantes.

O gerente de operações da DreamShaper, Felipe Rodrigues, explica como essa ferramenta pode ser útil para os adolescentes desde a convivência na escola.

“Nas escolas, as habilidades socioemocionais ajudam os alunos a terem uma relação melhor, seja com os próprios colegas ou com os professores. Eles acabam se tornando mais abertos a novas experiências e descobertas. Eles passam a ter um papel mais ativo no seu próprio aprendizado, uma melhor concentração, maior planejamento.”

>> Guia Definitivo de Redação para o Enem - Saiba Mais!
Um estudo encomendado pela Fundação Lemann foi realizado para medir o impacto social da plataforma. Os resultados mostraram que os alunos de ensino fundamental e médio que usaram a ferramenta durante um ano aumentaram a capacidade de organização e planejamento em 54%, a concentração em 51% e a criatividade em 58%. Já a orientação para o futuro profissional cresceu em 65%.

O trabalho da ferramenta não é realizado de forma avulsa. Os professores recebem a orientação de como guiar os estudantes. Por isso, Felipe Rodrigues fala sobre a parceria que foi feita com o governo.

“O nosso trabalho com as escolas de ensino fundamental e médio públicas, elas partem de um apoio e de uma parceria com as secretarias estaduais de educação propriamente ditas. Então, a gente, em conjunto com essas secretarias, determina quais as regiões e quais as escolas que irão participar desse programa. É uma decisão em conjunto com a secretaria e com os demais parceiros que a gente possui.”

A DreamShaper já está no Brasil desde 2015. Mais de 20 mil jovens já passaram pelo processo de conhecimento das soft skills. Segundo a empresa, é possível que o número chegue a 250 mil até o final deste ano.

Por Redação GN | Fonte: ARM
Compartilhe no G+

GN OnLine

Os comentários não representam a opinião do GN Online; a responsabilidade é única e exclusivamente do autor do comentário.

0 comentários: