Duas pessoas em Amargosa são presas acusadas de vender produtos pela internet e não entregar compras


Uma quadrilha que criava grupos em um aplicativo para celular ou perfis falsos em redes sociais e comercializava produtos que não eram entregues aos compradores foi desarticulada e duas mulheres presas, nesta quinta-feira (7), em Amargosa, interior da Bahia.

Em Amargosa, o grupo contava com Zélia Brito Alves, de 36 anos, e sua filha, Adriana Alves Santos, 20, para executar a ação criminosa. As duas mulheres foram presas em casa, em cumprimento a mandados de prisão. Além da dupla, Antônio Roberto Brito Alves, irmão de Zélia, também foi localizado em Ibotirama, e identificado como líder da quadrilha. Segundo investigações, o grupo aplicava o golpe em várias cidades.

Segundo o delegado Adilson Bezerra de Freitas, as vítimas eram informadas que as roupas seriam enviadas pelo Correio, mas nas caixas enviavam apenas um chip de celular vazio.

O delegado solicitou à Justiça o bloqueio das contas dos acusados e retenção dos valores nelas existentes, com o objetivo de ressarcir, ainda que parcialmente, as diversas vítimas.

Por Redação GN | Fonte: Bocão News
Compartilhe no G+

GN OnLine

Os comentários não representam a opinião do GN Online; a responsabilidade é única e exclusivamente do autor do comentário.

0 comentários: