Dermatite atópica: veja dicas de como amenizar os sintomas


De acordo com a Sociedade Brasileira de Dermatologia, a dermatite atópica é definida como uma doença crônica da pele, que apresenta erupções que coçam e apresentam crostas. Ela não é transmissível, mas quem tem, garante: causa muito desconforto.

O surgimento dela é mais comum nas dobras dos braços e na parte de trás dos joelhos, mas também pode aparecer em outras regiões do corpo, dependendo da faixa etária. A causa exata da dermatite atópica ainda é desconhecida, mas os médicos acreditam que uma combinação de uma pele seca e irritável com um mau funcionamento no sistema imunológico podem ter ligação com a doença.

Os sintomas podem variar de pessoa para pessoa. Tem gente que fica com secreção ou sangramento na orelha, outros ficam com a pele bem machucada por conta das coceiras. Há pessoas que ficam com alterações na cor da pele, podendo ficar mais clara ou escura que o tom normal, sem contar aqueles casos em que a pele fica muito inflamada, com bolhas.

Evitar coçar e cuidar da pele em casa pode diminuir a necessidade de medicamentos. Segundo a dermatologista Bettina Sanson, é preciso adotar algumas medidas para melhorar a recuperação.

“Tem que saber utilizar o corticoide no momento certo, por períodos curtos, usar sabonete sem perfume, o banho extremamente rápido e a aplicação de óleos de hidratação ou até loções de banho dentro do chuveiro, enquanto a pele está molhada. Depois do banho, você pode passar outra em cima.”

Lembrando que esses hidratantes não devem ter álcool, perfumes, fragrâncias, corantes ou outras substâncias químicas. A alergista e imunologista Adriana Aragão conta que alguns fatores podem piorar o quadro.

“A pele atópica tem uma produção diminuída das gorduras naturais. Então, é uma pele seca, áspera e ressecada. Além dos fatores que pioram a dermatite atópica, que agrava, tem também os fatores irritantes inespecíficos, como perfumes, calor, suor... Então, esses fatores agravam a dermatite atópica porque essas pessoas já nascem com o pele mais sensível.”

O tratamento da doença é feito geralmente à base de medicamentos. Eles podem ser orais ou colocados diretamente sobre a pele ou no couro cabeludo do paciente.

A dica é manter as unhas curtas para evitar de se machucar ainda mais. Se você descobrir que se coça à noite, pense na possibilidade de usar luvas antes de se deitar. Evite agentes que agravem os sintomas, como os tecidos irritantes, evite usar sabonetes ou detergentes fortes, bem como produtos químicos e solventes.

Além disso, alterações súbitas na temperatura corporal e o estresse podem causar suor e piorar ainda mais a situação. Não esqueça de ficar pouco tempo no banho, lembrando que banhos curtos e frios são melhores que banhos longos e quentes. Outra dica é não esfregar ou secar a pele com muita força ou por muito tempo.

E depois que sair do banho, é importante aplicar cremes, loções ou pomadas hidratantes na pele enquanto ela estiver úmida. Isso ajuda a reter a umidade na pele. Em caso de dúvida ou quaisquer sintomas, procure um médico.

Por Redação GN | Fonte: ARM
Compartilhe no G+

GN OnLine

Os comentários não representam a opinião do GN Online; a responsabilidade é única e exclusivamente do autor do comentário.

0 comentários: