10 dicas para evitar doenças comuns no verão


A temperatura alta e umidade trazem riscos maiores de contrair algumas doenças. A plataforma Doctoralia apresenta 10 dicas de prevenção de problemas de saúde que ocorrem com frequência no verão, para quem quer aproveitar a temporada com saúde e bem-estar.

1. Cuidado com alimentos mal acondicionados: comidas de beira de praia, que ficam expostas à temperatura ambiente, aumentam as chances de contaminação. Ao ingerir alimentos contaminados com microorganismos nocivos, os sintomas mais comuns são vômitos e diarreias. Se alimentar em casa e evitar alimentos vendidos na rua diminuem as chances de intoxicações.

2. Evitar exposição prolongada ao sol: a insolação é um problema comum no verão, que pode causar dor de cabeça, náuseas, tontura e pele avermelhada. A areia da praia reflete o sol e reforça os riscos de insolação, mesmo sem exposição direta aos raios solares. O ideal é evitar os horários de sol mais forte, entre 11h e 16h, passar filtro solar 15 minutos antes de se expor ao sol e reforçar o protetor a cada duas horas.

3. Secar bem a pele: com o calor, transpiramos mais e a pele fica úmida por mais tempo, aumentando os riscos de proliferação de fungos causadores de micose. A doença causa vermelhidão, descamação e coceira na pele. Ao perceber os sintomas, deve-se consultar um dermatologista. Para evitar a doença, é aconselhável enxaguar-se bem ao sair do banho e evitar compartilhar objetos pessoais como roupas e toalhas.

4. Não deixar água parada: transmitida pelo Aedes Aegypti, transportador do vírus, a dengue é uma das doenças mais comuns no Brasil no verão e pode causar febre alta, dores de cabeça e coceiras pelo corpo. Para evitar a proliferação e contato com o mosquito, deve-se evitar ao máximo deixar água parada em garrafas, vasos, recipientes e caixas d`água e aplicar repelente todos os dias.

5. Cuidar com frutas cítricas: elas podem causar queimaduras na pele e lábios: Frutas cítricas como limão, laranja e tangerina contém ácido cítrico, que causa fitofotodermatose, irrita e pode lesionar a pele. A indicação é lavar muito bem as mãos após o manuseio e consumo destas frutas.

6. Secar os ouvidos após banho de mar e piscina: após passar o dia todo na água do mar ou na piscina, os ouvidos ficam úmidos e podem causar otite externa. Dor de ouvido, coceira e, em situações mais sérias, secreções são alguns dos sintomas. Como precaução, é aconselhável secar as orelhas com toalha e evitar usar cotonetes, que podem facilitar a proliferação de bactérias.

7. Use filtro solar livre de óleo: com a exposição ao sol podem aparecer bolinhas vermelhas endurecidas e doloridas, chamadas de acne solar. O filtro solar deve ser sempre aplicado, mas fórmulas mais oleosas podem agravar o problema. Excesso de cremes hidratantes também obstruem os poros e aumentam o problema. Para prevenir, o ideal é utilizar filtros em gel e lavar bem o rosto, ombros e costas no banho.

8. Beber água: um dos problemas mais comuns no verão é a desidratação, que causa sintomas como dor de cabeça, sonolência, tontura e cansaço, podendo levar a vertigens, desmaios e, em estágios mais avançados, câimbras musculares. Para evitar o problema, deve-se consumir ao menos dois litros de água por dia. Consumir frutas com alto teor de água e água de coco também é aconselhável.

9. Evitar andar descalço: o bicho de pé é uma infecção de pele, causada por uma pequena pulga, que entra na pele, podendo causar inflamação. Normalmente ele se infiltra nos pés e para tratar o problema é necessário remover o parasita. Para evitar o problema, a indicação é evitar andar descalços em areais e gramados.

10. Lavar bem as mãos: com o calor e umidade, bactérias se proliferam mais rápido e podem causar inflamação na membrana que reveste o globo ocular, causando conjuntivite. Os sintomas mais comuns são vermelhidão, inchaço, ardência e secreção. Lavar as mãos com frequência e evitar abrir os olhos embaixo d'água ajudam a prevenir o problema.

Por Redação GN | Fonte: LifeStyle
Compartilhe no G+

GN OnLine

Os comentários não representam a opinião do GN Online; a responsabilidade é única e exclusivamente do autor do comentário.

0 comentários: