Professores de universidade estaduais farão paralisação das atividades acadêmicas


Professores da Universidade do Estado da Bahia (Uneb), Universidade Estadual de Santa Cruz (Uesc) e da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (Uesb) farão paralisação das atividades acadêmicas e administrativas nesta terça-feira (28). O protesto dos docentes foi aprovado nas assembleias da categoria.

De acordo com o coordenador geral da Associação dos Docentes da Uneb (Aduneb), Milton Pinheiro, a paralisação das Universidades Estaduais Baianas (Ueba) será para reforçar a denúncia de desrespeito do governo estadual com os direitos trabalhistas dos docentes e reivindicar maior orçamento às universidades. O protesto também será contra o projeto de Reforma da Previdência Social, que tenta ser imposto pelo governo do presidente Michel Temer.

Na Uneb, as manifestações iniciam a partir das 07h no Campus I, bairro do Cabula, e nos demais campi em regiões do interior. A categoria docente das quatro estaduais baianas aprovou o indicativo de greve.

REIVINDICAÇÕES

Segundo o Fórum QUE reúne representações das associações docentes das Ueba, no período de 2013 a 2016, as estaduais baianas acumularam redução de R$ 213 milhões no orçamento de manutenção, investimento e custeio. O cálculo é uma projeção que leva em consideração os cortes orçamentários e os reajustes das inflações acumuladas nos períodos.

Apenas na Uneb, a Secretaria de Administração Estadual (Saeb) nega promoções e alterações de regime de trabalho, que são direitos trabalhistas, a 279 professores. O corte do reajuste linear, ocorrido nos últimos dois anos, já corroeu quase 20% dos salários de docentes e técnicos. De acordo com a assessoria, a pauta de reivindicações do Fórum das ADs foi protocolada junto ao governo em 19 de dezembro do ano passado.

Por Redação GN | Fonte: Aratu Online
Compartilhe no G+

GN OnLine

Os comentários não representam a opinião do GN Online; a responsabilidade é única e exclusivamente do autor do comentário.

0 comentários: