Número de adolescentes envolvidos com tráfico de drogas tem alta em 2017 na Bahia


O número de adolescentes envolvidos com tráfico de drogas ou posse de entorpecentes teve uma alta de 15,2%, entre janeiro e setembro deste ano, se comparado ao mesmo período do ano passado. De acordo com informações da Secretaria de Segurança Pública (SSP), o número de menores infratores conduzidos à Delegacia do Adolescente Infrator (DAI) pelo crime saltou de 754 para 890.

Também foi constatado pela SSP, que os jovens, com idades entre 12 a 17 anos, também estão ligados a outros atos infracionais. No primeiro semestre de 2017, dos 1.883 apreendidos, 560 são casos de tráfico de drogas, 330 de porte de substância entorpecente, 239 ameaças, 193 lesões corporais, 265 roubos (171 a transeuntes), 163 portes ilegais de arma, 160 furtos (simples e qualificados) e 163 flagrantes de outros atos infracionais.

O major Gabriel Neto, que comanda a Operação Gêmeos, unidade da Polícia Militar que combate o roubo a coletivos, defendeu que “falta acompanhamento dos familiares a estes adolescentes, que acabam cooptados por organizações criminosas”. A delegada Ana Virgínia Paim, titular da DAI, afirmou que já presenciou cenas em que pais se surpreenderam sobre as práticas infratoras dos filhos. “Um cobrador de ônibus veio buscar o filho, avisado de que ele havia roubado um celular. Acreditava se tratar de um engano, ficando decepcionado quando o menino confessou em sua frente o que fizera”, relatou Paim, alertando que, “a depender do ato infracional, do histórico do adolescente e da violência, o adolescente é privado da liberdade”.

Por Redação GN | Fonte: Metro1
Compartilhe no G+

GN OnLine

Os comentários não representam a opinião do GN Online; a responsabilidade é única e exclusivamente do autor do comentário.

0 comentários: