Como melhorar a digestão em 6 passos simples


A digestão é um dos processos mais importantes do organismo, responsável por converter os alimentos em compostos menores, hidrossolúveis e absorvíveis, de forma a que todos os nutrientes possam ser eficientemente extraídos. A digestão começa no momento em colocamos o alimento na boca, durante a mastigação, contudo, a digestão eficiente depende de mais do que isso; depende da adoção de um estilo de vida saudável e, sobretudo, da escolha certa dos melhores alimentos para o processo digestivo, um dos que mais implica a ação de vários órgãos.

O médico Frank Lipman explica ao site Mind Body Green que a digestão pode ser mais eficaz e benéfica para a saúde e bem-estar quando se presta mais atenção ao que se come e ao momento em que se come.

Em primeiro lugar, não há nada melhor para a digestão do que comer sentado e com calma, centrando todas as atenções na comida e em cada garfada que se leva à boca. Aliar a prática de mindfulness a este momento faz com todas as mensagens para o cérebro sejam emitidas corretamente.

E é no ato de mastigar que está o ganho de prazer e saúde. E, claro, de um corpo mais leve e com menos gordura. Engolir sem mastigar não sacia e ainda aumenta o risco de soluções, mal-estar e até mesmo azia.

De acordo com o médico, um dos piores hábitos para a digestão é beber quando ainda se tem comida na boca. Embora pareça inofensivo, este hábito de beber água (ou qualquer outra bebida) durante a refeição dilata o estômago e diminui a atuação do ácido, comprometendo a capacidade de 'quebrar' as propriedades de alguns alimentos. O ideal é beber 30 minutos antes ou depois da refeição.

Para uma boa digestão é também importante reduzir o consumo de alimentos que causem sensibilidade - isto é, gases, inchaço abdominal ou azia. É o caso dos alimentos com glúten, lacticínios, soja, leguminosas e de alguns vegetais ricos em fibra. O consumo destes alimentos não deve ser banido, mas sim controlado. Já os adoçantes artificiais e os refrigerantes danificam a saúde e devem ser excluídos.

E por falar em alimentos, melhorar a digestão depende do que se come, sendo, por isso, fundamental adotar uma alimentação voltada para a saúde dos intestinos, ou seja, que favoreça as bactérias intestinais e que seja rica em probióticos, como é o caso do iogurte, dos picles e do tempeh.

Por fim, mas não menos importante, está a perda do hábito de comer antes de ir para a cama, especialmente se a refeição for calórica e pesada. Um pequeno lanche antes de dormir não faz mal, mas é fundamental que se tenha a consciência de que o processo digestivo é mais lento ao final do dia, podendo levar a uma sensação de mal-estar durante a noite.

Por Redação GN | Fonte: LifeStyle
Compartilhe no G+

GN OnLine

Os comentários não representam a opinião do GN Online; a responsabilidade é única e exclusivamente do autor do comentário.

0 comentários: