F1: Após caos em Monza, Brawn cogita mudar punições do grid de largada


O Grande Prêmio da Itália realizado no último final de semana teve diversos fatores que chamaram a atenção. Além de Lewis Hamilton assumir a liderança do campeonato pela primeira vez em 2017 e da bela festa protagonizada pelos italianos nas arquibancadas, o alto número de punições no grid de largada impressionou.

Dos 20 pilotos que disputam o campeonato, nove deles sofreram punições e perderam posições em relação ao treino classificatório, alterando o grid de largada. Contudo, como o sistema prevê a perda de inúmeros postos – Fernando Alonso, por exemplo, perdeu 35 -, a medida gerou confusão e críticas dos fãs da Fórmula 1.

Quem também não ficou nada satisfeito com o resultado foi o chefe da categoria, Ross Brawn. O britânico admitiu que os fãs não gostam do atual sistema, e que pretende chegar a uma decisão juntamente com a Federação Internacional de Automobilismo (FIA).

“É um aspecto dos regulamentos que precisa ser observado de perto, porque, se é certo a princípio, sua implementação definitivamente é difícil para os fãs engolirem. Temos algumas ideias sobre como mudar isso e precisamos discutir os detalhes com a FIA para ver como melhorar a situação”, declarou o ex-chefe de equipe da F1.

No GP da Itália, nove pilotos foram punidos. Foram eles: Max Verstappen, Daniel Ricciardo, Nico Hulkenberg, Fernando Alonso, Carlos Sainz e Jolyon Palmer. O único que saiu na colocação conquistada no treino classificatório foi Lewis Hamilton, recordista de pole positions da F1.

Por Redação AEC | Fonte: Gazeta Esportiva
Compartilhe no G+

GN OnLine

Os comentários não representam a opinião do GN Online; a responsabilidade é única e exclusivamente do autor do comentário.

0 comentários: