F1: Vettel supera Raikkonen, e Ferrari garante dobradinha em Mônaco


Neste domingo (28) foi realizado o Grande Prêmio de Mônaco, sexta prova da temporada de 2017 da Fórmula 1. Apesar de largar na segunda colocação, Sebastian Vettel foi o vencedor, após ter acertado na estratégia, o que possibilitou que o tetracampeão superasse seu companheiro, Kimi Raikkonen. A vitória ainda encerrou um jejum de vitórias da escuderia italiana no circuito, já que a última vitória havia sido em 2001, com Michael Schumacher.

Além da dobradinha da Ferrari, que reafirmou seu domínio em Mônaco, o que se viu durante todo o fim de semana, Daniel Ricciardo, da Red Bull, completou o pódio, terminando na terceira colocação. A melhor Mercedes foi a de Valtteri Bottas, que terminou em quarto, e foi seguido por Max Verstappen, da Red Bull. Felipe Massa, que não conseguiu sair em uma boa colocação, foi o nono, somando dois pontos para a Williams.

Além da dobradinha da Ferrari, que reafirmou seu domínio em Mônaco, o que se viu durante todo o fim de semana, Daniel Ricciardo, da Red Bull, completou o pódio, terminando na terceira colocação. A melhor Mercedes foi a de Valtteri Bottas, que terminou em quarto, e foi seguido por Max Verstappen, da Red Bull. Felipe Massa, que não conseguiu sair em uma boa colocação, foi o nono, somando dois pontos para a Williams.

Já Lewis Hamilton, que largou apenas na 13ª colocação, conseguiu ganhar posições, finalizando em sétimo. Mesmo assim, o saldo acabou sendo negativo para o piloto da Mercedes, que viu Vettel abrir ainda mais vantagem na liderança do Mundial: 129 a 104 para tetracampeão da Ferrari.

A prova, uma das mais tradicionais do campeonato de F1, ainda teve outros componentes especiais. Antes do início, Fernando Alonso, que está os Estados Unidos para a disputa das 500 Milhas de Indianápolis, conversou com Jenson Button pelo rádio. O britânico, campeão mundial em 2009, assumiu o lugar do espanhol para o GP de Mônaco.

Além disso, tudo era acompanhado de perto pelo atual campeão da Fórmula 1, Nico Rosberg, agora aposentado, que também marcou presença no evento. O próximo compromisso da Fórmula 1 acontece daqui duas semanas, com a disputa do Grande Prêmio do Canadá, disputado no Circuito Gilles Villeneuve. Na temporada de 2016, o vencedor da prova foi Lewis Hamilton.

A corrida – Mesmo com as ruas apertadas do Principado e com os carros maiores em relação à última temporada, a largada não teve maiores problemas. Kimi Raikkonen conseguiu manter a ponta com tranquilidade, e continuou sendo seguido por Sebastian Vettel e Valtteri Bottas. Não demorou, porém, para que as Ferraris conseguissem abrir grande vantagem na ponta.

Ainda na largada, Daniel Ricciardo tentou ultrapassar o companheiro de Red Bull, Max Verstappen. Os carros chegaram a tocar as rodas, mas o jovem holandês conseguiu manter a quarta colocação.

Na parte de trás do grid, Lewis Hamilton, que acabou largando em 13º por causa da punição dada a Jenson Button, que saiu em último e largou dos boxes, conseguiu ultrapassar Stoffel Vandoorne assim que as luzes vermelhas se apagaram, e assumiu a 12ª posição. Felipe Massa, por sua vez, seguiu em 14º.

Na 16ª volta aconteceu o primeiro abandono. Com problemas no câmbio, Nico Hulkenberg, da Renault, foi forçado a deixar a prova. Com isso, Hamilton conseguiu subiu mais posições, e chegou à décima colocação.

Dos três primeiros colocados, o primeiro a ir para os boxes foi Bottas, que conseguir voltar à frente de Verstappen. Na sequência foi a vez de Raikkonen, que viu a Ferrari se atrapalhar ligeiramente na troca de pneus, mas o finlandês retornou à pista em terceiro, atrás do líder Vettel e de Ricciardo, que ainda não haviam parado.

De cara para o vento, Vettel tentava abrir a maior vantagem possível, fazendo voltas rápidas, para tentar retornar à frente do companheiro de equipe após a parada nos boxes. Apesar da Ferrari não demorar para chamar o alemão, a estratégia do tetracampeão deu certo, que conseguiu voltar na ponta, com Kimi em segundo, bem perto do companheiro.

Lewis Hamilton, por sua vez, foi o último piloto de todo o grid a ir para os boxes para realizar a primeira parada. O britânico da Mercedes chegou à sexta colocação, e foi ao pit stop apenas na 47ª volta. A estratégia deu certo, já que o tricampeão perdeu apenas um posto e retornou à pista na sétima posição.

Aproximadamente na 60ª volta, Button tentou ultrapassar Wehrlein pelo lado de dentro na entrada do túnel. Os carros acabaram se tocando, e ambos abandonaram a corrida. Enquanto Jenson teve um problema na roda, Pascal acabou tendo o carro virado, ficando preso na proteção. Porém, o alemão da Sauber não se machucou. Com o incidente, o carro de proteção entrou na pista.

Na 67ª volta, o safety car se retirou e, como os carros tiveram que diminuir consideravelmente a velocidade por conta do acidente, todos estavam muito próximos quando a disputa recomeçou. Porém, as dificuldades de ultrapassagens no Principado prevaleceram. O que chamou a atenção foi o desgaste de uma parte do asfalto da pista, o que dificultou ainda mais a vida dos pilotos.

Dessa maneira, Vettel apenas administrou a vantagem e garantiu sua terceira vitória na atual temporada da F1, seguido por Raikkonen e Ricciardo, que completaram o pódio. Massa, por sua vez, se aproveitou dos abandonos e fechou em nono, conquistando dois pontos. Já Hamilton assegurou a sétima colocação, melhorando seis postos de sua posição na largada.

Confira abaixo a classificação do GP de Mônaco:

1: Sebastian Vettel (ALE/Ferrari)
2: Kimi Raikkonen (FIN/Ferrari)
3: Daniel Ricciardo (AUS/Red Bull)
4: Valtteri Bottas (FIN/Mercedes)
5: Max Verstappen (HOL/Red Bull)
6: Carlos Sainz (ESP/Toro Rosso)
7: Lewis Hamilton (GBR/Mercedes)
8: Romain Grosjean (FRA/Haas)
9: Felipe Massa (BRA/Williams)
10: Kevin Magnussen (DIN/Haas)
11: Jolyon Palmer (GBR/Renault)
12: Esteban Ocon (FRA/Force India)
13: Sergio Perez (MEX/Force India)

Não completaram

Nico Hulkenberg (ALE/Renault)
Jenson Button (GBR/McLaren)
Pascal Wehrlein (ALE/Sauber)
Marcus Ericsson (SUE/Sauber)
Stoffel Vandoorne (BEL/McLaren)
Daniil Kvyat (RUS/Toro Rosso)
Lance Stroll (CAN/Williams)

Por Redação AEC | Fonte: Gazeta Esportiva
Compartilhe no G+

GN OnLine

Os comentários não representam a opinião do GN Online; a responsabilidade é única e exclusivamente do autor do comentário.

0 comentários: