International Board avalia auxílio de vídeo para Copa de 2018


Está marcada para esta sexta-feira (3) a reunião anual da Assembléia Geral da International Board, órgão que comanda as regras do futebol. Um dos pontos fundamentas a ser discutido será o auxílio de vídeo, que está ainda se encontra em fase de teste.

Além da ajuda tecnológica, outro ponto que será discutido nesta sexta-feira no estádio Wembley, em Londres, será uma possível quarta substituição em partidas que chegarem à prorrogação. Atual Presidente da Fifa, Gianni Infantino, é um dos principais membros da assembleia e garantiu, no final do ano passado, que deseja ter a tecnologia na Copa do ano que vem.

“Esperamos ter vídeo-arbitragem durante o Mundial de 2018”, afirmou o presidente da Fifa. “Eu era bastante cético, porque achava que o vídeo poderia ter impacto no ritmo de jogo. Mas depois me dei conta que nos testes isso não acontece. Vamos multiplicar as experiências durante dois anos e em março de 2018 decidiremos”, falou Infantino.

A reunião deste ano ainda não definirá se será utilizado ou não o recurso televisivo na Copa da Rússia, porém significará um passo muto importante. No encontro de 2016, a International Board autorizou a utilização da inovação por dois anos para teste. Alemanha, Estados Unidos, França e Holanda são alguns dos países que estão provando os novos dispositivos.

Em torneios da Fifa, o primeiro a contar com a nova tecnologia foi o Mundial de Clubes de 2016 e gerou muita polêmica. Na primeira semifinal, entre Kashima Antlers e Atlético Nacional, um pênalti foi assinalado vários segundos depois da falta, o que incomodou os jogadores. Já na segunda partida, no duelo entre Real Madrid e América, do México, um gol do português Cristiano Ronaldo foi apontado como válido, mas depois foi anulado por impedimento e depois voltou a ser validado pelo assistente de vídeo.

Por Redação AEC | Fonte: Gazeta Esportiva
Compartilhe no G+

GN OnLine

Os comentários não representam a opinião do GN Online; a responsabilidade é única e exclusivamente do autor do comentário.

0 comentários: