'Carne Fraca': PF diz que parte da propina era revertida para PP e PMDB


Durante coletiva de imprensa realizada nesta sexta-feira (17), após a Operação Carne Fraca ser deflagrada, o delegado da Polícia Federal (PF) Maurício Moscardi Grillo afirmou que o Partido Progressista (PP) e o Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB) eram beneficiados a propina advinda do esquema ilegal de vendas de carnes.

"Dentro da investigação ficava bem claro que uma parte do dinheiro da propina era sim revertida para partido político. Caracteristicamente já foi falado ao longo da investigação dois partidos que ficaram claros: que é o PP e o PMDB", disse o delegado. Ainda de acordo com ele, até o momento, não se sabe a quantia que foi destinada aos partidos.

De acordo com a polícia, a Carne Fraca é, em números, a maior operação já deflagrada pela PF no país. Em seis estados do Brasil e no Distrito Federal, 309 mandados judiciais estão sendo cumpridos, sendo 27 de prisão preventiva e 11 de prisão temporária. A operação consiste em investigar o envolvimento de fiscais do Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento (Mapa) em um esquema de liberação de licenças e fiscalização irregular de frigoríficos.

Por redação GN | Fonte: Agências
Compartilhe no G+

GN OnLine

Os comentários não representam a opinião do GN Online; a responsabilidade é única e exclusivamente do autor do comentário.

0 comentários: