Acadêmicos do Tatuapé leva o título de campeã do carnaval de São Paulo


Acadêmicos do Tatuapé foi a campeã do Grupo Especial do Carnaval de São Paulo 2017. O enredo se inspirou no povo africano, sua cultura e seus deuses. Ela foi a quarta a entrar na avenida na madrugada do último sábado (25). A escola, vice-campeã da festa carnavalesca, completou seu desfile com 61 minutos.

De acordo com o Estadão Conteúdo, o enredo é intitulado "Mãe África conta a sua história: Do Berço Sagrado da Humanidade à Terra Abençoada do Grande Zimbabwe".

Um destaque foi o penúltimo carro alegórico da escola, com crianças e integrantes da velha guarda, que contagiou o público. O desfile durou uma hora e um minuto.

Em 23 de abril do ano passado, dia de São Jorge, a escola definiu o enredo de 2017. O projeto é o primeiro do carnavalesco Flávio Campello na Tatuapé. Ele substituiu Mauro Xuxa, que assinou os últimos cinco desfiles.

A segunda colocada foi a Dragões da Real foi a campeã do Grupo Especial do Carnaval de São Paulo 2017, que desfilou na madrugada do último domingo (26). O enredo foi inspirado no sucesso "Asa Branca" do Rei do Baião, Luiz Gonzaga. Em segundo lugar, ficou a Acadêmicos do Tatuapé.

Segundo informações do G1, a abertura do desfile da Dragões foi com o cantor Fagner, que cantou um trecho de "Asa Branca", além da participação do ator Chambinho do Acordeon, que interpretou Gonzagão no cinema e na televisão.

O artista também desfilou num dos carros da escola. A Dragões terminou o desfile com 1h03, dois minutos antes do tempo limite. De acordo com o G1, a apresentação encerrou seu desfile com um minuto de sobra. No total, foram 64 minutos.

As escolas Nenê de Vila Matilde e Águia de Ouro foram as duas rebaixadas para o Grupo de Acesso do Carnaval paulistano. O desfile da Nenê, que acabou em penúltimo após ficar em nono lugar em 2016, ficou marcado por uma confusão: o presidente da escola se recusou a colocá-la na avenida, porque a pista estaria escorregadia. Segundo ele, a Vai-Vai, que tinha desfilado logo antes, havia despejado óleo na pista.

Após pressão do presidente da Liga de Escolas de Samba de São Paulo, Paulo Sérgio Ferreira, a escola desfilou depois de uma breve limpeza na avenida. O atraso foi de cerca de uma hora.

Sexta escola a desfilar no sábado, a Nenê homenageou Curitiba com o enredo "Core e Tuba. A ópera de todos os povos, terra de todas as gentes, Curitiba de todos os sonhos".

A  escola entrou no Anhembi cantando a capital do Paraná -cidade bastante úmida e chuvosa- quando os primeiros clarões do domingo começavam a surgir no horizonte. O desfile transcorreu sem problemas, mas a Nenê teve que se apressar no final para não estourar o tempo.

A Águia de Ouro foi a última colocada, após ficar em oitavo lugar em 2016.A agremiação encerrou os desfiles da sexta-feira. O enredo "Amor com amor se paga! Uma história animal" trazia uma defesa dos direitos dos animais, com a apresentadora Luisa Mell como embaixadora.

O desfile da escola flertou com a infantilidade. Cartazes de filmes com cachorros, como Lassie e Beethoven, e personagens na Turma da Mônica coloriram um dos carros.

A escola ainda trouxe fantasias de Papai Noel e de bichinhos, como cachorros e tigres. Na bateria, todos estavam vestidos de Charlie Chaplin.

Por Redação GN | Fonte: Notícias ao Minuto
Compartilhe no G+

GN OnLine

Os comentários não representam a opinião do GN Online; a responsabilidade é única e exclusivamente do autor do comentário.

0 comentários: