Cristóvão Borges não resiste à pressão e é demitido do Corinthians

Cristóvão Borges não é mais técnico do Corinthians. Ele foi demitido neste sábado, após a derrota por 2 a 0 para o Palmeiras, em Itaquera. O anúncio foi feito pelo presidente Roberto de Andrade após o Dérbi. O auxiliar-técnico Fábio Carille assumirá o comando do Timão até o final do ano e já dirigirá a equipe nesta quarta-feira, contra o Fluminense, na Arena, em jogo pelas oitavas de final da Copa do Brasil.

O ex-treinador comandou o Timão em 18 jogos, período em que conquistou sete vitórias, seis derrotas e cinco empates, e sofreu muita pressão por parte da Fiel. Roberto de Andrade disse que a demissão de Cristóvão estava em pauta desde antes do Dérbi, embora o diretor adjunto de futebol, Eduardo Ferreira, tenha garantido a permanência do treinador na última quinta-feira.

                       

- Cristóvão estava tendo dificuldade, a pressão aqui é grande, mexemos no time, as opções ficaram menores, mas não resolvemos as coisas em cinco minutos. Não posso antes de um clássico falar que o técnico vai embora, mas não significa que não estamos amadurecendo a ideia. Queremos o melhor para o clube, se erramos de uma forma ou de outra o reparo também é grande. Estamos vivos no Brasileiro e na Copa do Brasil. Se achamos que temos de fazer uma correção, vamos fazer - avaliou Roberto de Andrade. 

O presidente também lamentou as oscilações da equipe com o comandante e avaliou que a demissão é uma "correção de curso" do Timão. Cristóvão deixa o Corinthians em quinto lugar na tabela do Brasileiro, com 41 pontos, uma posição abaixo da que a equipe estava quando ele assumiu.

- Cristóvão é um sujeito formidável, trabalhador, dedicado, mas o futebol vive de resultado. Não tem nada além de resultados. Vemos muitos times com padrão tático até ruim, desorganizados, mas que conseguem ter resultado positivo Não estamos conseguindo fazer isso, em algumas partidas a oscilação é muito grande. Em um jogo tem um tempo diferente do outro, difícil, a oscilação atrapalha bastante. Não dá para identificar por que está bom, por que está ruim. É difícil - avaliou Roberto.

- Apesar do placar adverso, o Corinthians não fez uma partida ruim, principalmente no primeiro tempo. Tomou um gol bobo, logicamente eu não resolvi em dois minutos a mudança. Mas quando temos na cabeça que precisamos consertar o curso, temos de tomar uma atitude, não tem jeito. Estamos fazendo uma correção. Na dúvida, vamos tratar de corrigir, pelo menos ficamos com a consciência mais tranquila de que fizemos o que tinha de ser feito - acrescentou o presidente. 

Cristóvão Borges não durou mais de 20 partidas nos últimos três clubes que comandou. Ele foi demitido do Flamengo após 18 jogos, mesmo número que teve no Corinthians. Já no Atlético-PR, ele caiu com 20 jogos. O treinador sofreu com a perda de peças no Timão: além dos lesionados, como Danilo, foram vendidos Elias, André, Luciano e Bruno Henrique. Chegaram os volante Jean e o atacante Gustavo. Entre mudanças e pressão, o treinador não conseguiu dar um padrão de jogo ao time do Parque São Jorge e acabou demitido.

Após anunciar o substituto, Roberto mostrou respaldo ao escolhido, exaltando que Carille está familiarizado com o elenco. O mandatário garantiu que a diretoria não irá atras de nenhum outro técnico até o fim da temporada. 

- Trazer um treinador faltando dois meses e meio para o fim de temporada é um tempo muito curto para conhecer o elenco. Damos preferência ao Fábio por conhecer o elenco, o dia a dia. Isto facilita e em janeiro pensamos em outro treinador, sim. O elenco, este que tem aqui, é o que vamos terminar o ano, não tem como fazer mais contratações. Já estamos planejando para renovar em 2017 - encerrou o presidente. 

Por Redação AEC | Fonte: Lance
Compartilhe no G+

Editor Chefe: GN OnLine

Os comentários não representam a opinião do Portal GN; a responsabilidade é única e exclusivamente do autor da mensagem.

0 comentários: