Ativista LGBT sugere criação de país sem heterossexuais para acabar com homofobia

Criar um país sem heterossexuais. Esta é a ideia inusitada e, no mínimo, radical de Viktor Zimmermann, ativista dos direitos LGBT, para que a comunidade se livre da homofobia. Ele, que integra a Gay Homeland Foundation, defende a criação de um Estado-nação que seria refúgio seguro para milhões de homossexuais no mundo. "Muitos homossexuais no planeta vivem em circunstâncias perigosas; sua segurança física é ameaçada diariamente; seus empregos são inseguros; suas famílias os ameaçam ou tentam forçá¬-los a se casar", afirmou em entrevista à revista Vice. Para abrigar este país, sugere um local com “terra barata e habitável” e à “beira-mar”, como na América do Sul. A nação, que seria um Estado sem território, forneceria comida e moradia para refugiados homossexuais. O ativista, entretanto, não descarta a possibilidade de heterossexuais poderem viver no país. Entretanto, teriam que ser em número reduzido e sem poderes.

Por Redação GN | Fonte: Bahia Notícias
Compartilhe no G+

Editor Chefe: GN OnLine

Os comentários não representam a opinião do Portal GN; a responsabilidade é única e exclusivamente do autor da mensagem.

0 comentários: